Você está aqui: Página Inicial > Releases > Planejamento publica edital de licitação para digitalização de mais de 100 mil pastas funcionais

Notícias

Planejamento publica edital de licitação para digitalização de mais de 100 mil pastas funcionais

Iniciativa aumenta segurança na gestão e no armazenamento dos arquivos e processos
publicado:  03/10/2018 11h15, última modificação:  03/10/2018 14h25

O edital para a contratação conjunta de prestação de serviços de digitalização de documentos de Assentamento Funcional Digital (AFD) na modalidade Registro de Preços foi publicado nesta segunda-feira (1º). A medida engloba os órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (Sipec) e visa agilizar o acesso à informação, subsidiar a tomada de decisão e resguardar os direitos e os deveres dos órgãos, entidades e de seus agentes.

A licitação atenderá mais de 650 participantes, agrupados em 8 (oito) lotes, abrangendo quase a totalidade das unidades responsáveis pela gestão e guarda das pastas funcionais no governo federal. Ao todo, serão digitalizadas mais de 1,2 milhão de pastas funcionais. O valor estimado é da ordem de R$ 53,6 milhões e a abertura do pregão está prevista para 16 de outubro.

Com a iniciativa, estima-se reduzir de 35 para 2 minutos o tempo médio de acesso e localização de documentos, além de aumentar a confiabilidade das informações acessadas. Também será possível realizar buscas simultâneas em milhares de arquivos e liberar espaços físicos nobres hoje utilizados para armazenar arquivos nas dependências dos órgãos.

Atualmente, cada órgão possui unidades responsáveis pela guarda e arquivamento de pastas funcionais, que contêm informações dos servidores públicos federais efetivos, comissionados ou a estes equiparados, resultando em redundância de documentos do acervo em todo o território nacional. Isto exige, em muitos casos, deslocamento de equipes para auditoria e fiscalizações de assuntos que se encontram arquivados.

O AFD foi criado pela Portaria nº 4, de março de 2016. Seus arquivos são considerados documento arquivístico e deverão observar as orientações emanadas pelo Arquivo Nacional.​